A profissional explica como executar o projeto e decorar o espaço que já alçou o status de um dos mais queridos do apartamento

Karina Korn

A verticalização do espaço urbano mudou muitos aspectos do estilo de vida contemporâneo. Um deles é a valorização e apreço pelas varandas, sejam elas gourmet ou não. Entre as opções de ambientes para relaxar, elas se tornaram uma das queridinhas dos moradores prediais. Grandes ou pequenas, são espaços coringas dentro dos apartamentos.

Boa parte das varandas adquire a função de extensão do living, espaço para descontrair e aproveitar a iluminação natural e a vista. A arquiteta Karina Korn, do escritório Karina Korn Arquitetura, adora projetar esses ambientes dedicados às reuniões e gastronomia. Pensando em uma varanda perfeita, a arquiteta compartilha suas orientações:

• O que define uma varanda gourmet de uma varanda comum – O adjetivo não deixa dúvidas – ele se refere diretamente ao preparo e consumo de alimentos. Nela, combinam-se móveis de estar e eletrodomésticos, criando um ambiente híbrido. É possível criar uma varanda gourmet sem churrasqueira, mas vale destacar que ela costuma ser um dos requisitos preferidos de muitos moradores, aproximando o espaço de uma área externa de casa.

• Como escolher a churrasqueira – Cada tipo de varanda gourmet tem um modelo de churrasqueira mais apropriado para o seu espaço e configuração. O modelo com carvão costuma ser a preferida de quem gosta de uma boa carne e oferece uma boa durabilidade.

Apesar disso, requer uma série de soluções para escoamento da fumaça intensa que produz, como dutos e circulação de ar. Sua instalação depende de sua previsão ou não no projeto da construtora e viabilidade de execução de acordo com as normas do prédio.

Já a churrasqueira elétrica, tipo grill, é mais moderninha, além de compacta e portátil. Precisa apenas do ponto de alimentação de energia elétrica e de uma bancada para habitar.

• A bancada é uma necessidade nesse ambiente – Não existem elementos obrigatórios na varanda, seja ela gourmet ou não – o definidor é sempre a prioridade do morador, queira ele um espaço para churrasco, para tomar cafés, ou apenas para confraternização. Apesar disso, a bancada é sim um requisito para o ambiente gourmet ideal. Nas varandas pequenas, ela substitui a mesa de refeições, reunindo quem cozinha e os convidados acomodados em suas charmosas banquetas.

De acordo com a metragem, ela pode vir acompanhada ou não de cooktop e pia. Quando há mais espaço, a bancada convive bem com mesas nas mais diversas configurações, assumindo o papel de espaço para finalização de preparos e estação de equipamentos, com bar de café ou frigobar, por exemplo.

Um ambiente agradável de reunião também pode contar apenas com espaço para sentar e um carrinho de bar. Clássico, ele representa a função do espaço e é um convite para descontrair.

• Como definir o estilo da varanda – É importante que o décor da varanda converse com o restante da casa. Isso pode ser feito de diversas formas, a mais comum sendo o uso da paleta de cores análoga. Outra dica que Karina destaca está relacionada à integração visual com a nivelação do piso. “Uso o mesmo piso no living e varanda e também considero o uso portas de vidro”, conta. Assim, os ambientes se conectam quando necessário, mantendo sua independência estrutural.

Dito isso, é comum que a decoração da varanda siga um estilo mais rústico. Tijolinhos trazem a sensação de aconchego e, junto de plantas, por exemplo, aproximam esse espaço da decoração de um ambiente externo. Jardins verticais aliam a otimização da varanda à beleza dos elementos naturais, enriquecendo o ambiente.

A madeira é outra aliada e está presente em móveis como a mesa de jantar ou de apoio. O material ainda pode aparecer nos revestimentos, por meio do uso de porcelanatos que imitam seus tons e texturas. Na varanda gourmet, eles ainda trazem a vantagem da resistência aos respingos de água e gordura que podem acontecer durante o preparo de alimentos.

Contato:
Karina Korn
(11) 988-486-858 /988-499-669
http://www.karinakorn.com.br/